Revisão da NLDS 2012

Continuando nosso resumo da sobre as séries de divisão, chegou a vez de falarmos da National League. Em dois confrontos de cinco jogos, duas equipes conseguiram viradas espetaculares e continuam vivas na disputa pela World Series. Confira o que de melhor aconteceu em cada série.


San Francisco Giants 3×2 Cincinnati Reds


Jogo 1: CIN 5×2 SF
Jogo 2: CIN 9×0 SF
Jogo 3: SF 2×1 CIN
Jogo 4: SF 8×3 CIN
Jogo 5: SF 6×4 CIN

A primeira partida da série tinha tudo para ser um duelo de aces, com dois fortes candidatos ao prêmio de Cy Young. Porém o esperado não aconteceu: Johnny Cueto saiu com dores nas costas logo na primeira entrada e Matt Cain acabou cedendo três corridas em apenas cinco entradas. Ficou a cargo dos bullpens segurarem as pontas e os Reds se deram melhor, com direito a 4 innings e apenas uma corrida sofrida de Mat Latos. O segundo jogo foi dominado por Cincinnati. O ataque vermelho destruiu Madson Bumgarner e os relievers de San Francisco e contou com uma atuação brilhante de Bronson Arroyo (quem diria), que cedeu apenas uma rebatida em 7 entradas.

O confronto foi para Cincinnati, com o time da casa precisando de apenas uma vitória para liquidar a fatura. O jogo 3 foi extremamente tenso, com boa atuação por parte dos pitchers. Homer Bailey conseguiu 10 strikeouts enquanto limitou os Giants a apenas uma corrida em 7 entradas. Do outro lado, o bullpen conseguiu segurar as pontas, após a saída de Ryan Vogelsong no final do 5º inning. Com o empate em 1-1, a partida foi para as entradas extras. No 10º inning, com duas eliminações, Scott Rolen cometeu um erro na defesa e os visitantes assumiram a ponta no placar, que viria a se tornar uma vitória, após Sergio Romo fechar as portas. Vivos na disputa, os Giants finalmente viram seu ataque apareceu no jogo 4, com oito corridas anotadas e uma excelente performance de Tim Lincecum saindo do bullpen. A série que já parecia decidida ficou empatada e a decisão ficou marcada para mais um jogo.

Com a moral elevada, San Francisco mandou novamente seu ace, Matt Cain, para a grande decisão, enquanto os Reds responderam com Mat Latos. Na quinta entrada, uma explosão ofensiva fez com que os Giants abrissem seis corridas de vantagem, graças ao grand slam de Buster Posey. O time da casa bem que tentou reverter o placar, anotando três corridas e tirando Cain do jogo no 6º inning. Porém, o bullpen dos visitantes conseguiu, com muito sufoco, segurar a ofensiva adversária e ceder uma única corrida.

A virada espetacular dos Giants significou a quebra de um tabu: nunca na história da pós-temporada uma equipe perdeu os dois primeiros jogos em casa e conseguiu vencer as três partidas no estádio adversário, para sair vencedora da série de divisão.

Parabéns a San Francisco pelo feito alcançado. Pouco se falou do time como um dos favoritos ao título, mas com um grupo excelente de arremessadores e um ataque que, ao contrário de temporadas anteriores, tem funcionado, os Giants têm as peças necessárias para chegar fortes na World Series.

Saint Louis Cardinals 3×2 Washington Nationals


Jogo 1: WAS 3×2 STL
Jogo 2: WAS 4×12 STL
Jogo 3: STL 8×0 WAS
Jogo 4: STL 1×2 WAS
Jogo 5: STL 9×7 WAS

De um lado, a melhor campanha da MLB em 2012. Do outro, o pior recorde de vitórias-derrotas a chegar nos playoffs neste ano. Apesar dos números, a série não tinha um grande favorito. Afinal, como duvidar dos atuais campeões? E o que esperar de uma franquia estreante nos playoffs?

O primeiro jogo foi marcado pelo excelente desempenho de Adam Wainwright, que conseguiu 10 strikeouts em apenas 5.2 entradas. Gio Gonzalez estava com problemas de controle e cedeu 7 walks, mas, por algum milagre, cedeu apenas 2 corridas. Com os bullpens em ação, o equilíbrio persistiu, porém um erro do shortstop Pete Kozma veio a se tornar decisivo para a virada dos Nationals, que pontuaram duas vezes na oitava entrada. O jogo 2 foi totalmente diferente. O ataque dos Cardinals dominou os pitchers adversários e anotou 12 corridas, sendo cinco delas sobre o starter Jordan Zimmermann. Com Jaime Garcia saindo lesionado após dois innings arremessados, o bullpen de Saint Louis entrou em ação e não teve problemas para administrar a vantagem.

A série foi para Washington empatada em 1-1. E pela segunda partida consecutiva os Cardinals mostraram seu poderio ofensivo. Sem grandes dificuldades, a lineup dos visitantes nocauteou o time de arremessadores dos Nationals e anotou oito corridas. Chris Carpenter liderou os pitchers de Saint Louis, que conseguiram um shutout combinado. O jogo 4 começou cercado de nervosismo. A partida se manteve equilibrada, com os dois starters limitando as lineups a apenas uma corrida cada. O confronto parecia se encaminhar para as entradas extras, quando, no 9º inning, Jeyson Werth bateu uma home run de walk-off e manteve viva a esperança dos Nats de continuar na briga.

O jogo decisivo marcou o reencontro entre Wainwright e Gonzalez. Porém, ao contrário do primeiro duelo, a bola de curva de Wainwright não foi tão eficaz e em apenas 2.1 entradas ele cedeu três home runs e seis corridas, sendo sacado da partida. Com a grande vantagem, Washington pareceu ter “tirado o pé” e acabou pagando por isso. Gonzalez sofreu três corridas e deixou o jogo após cinco entradas, nas mãos do bullpen. Os Cardinals acabaram pontuando mais duas vezes e deixaram o placar em 5×6 no 8º inning. Com a pressão aumentando, o ataque dos Nats voltou a responder e anotou uma corrida sobre Jason Motte, ainda na parte baixa do 8º inning. Para a nona entrada, Drew Storen recebeu a bolinha e teve a responsabilidade de fechar o jogo para o time da casa. Após ceder uma rebatida dupla, Storen se recuperou com dois strikeouts consecutivos. Com a contagem completa em 3-2, Washington ficou duas vezes a um strike da classificação. Porém, o pitcher da casa acabou cedendo dois walks e lotou as bases. A partida chegou ao seu momento mais tenso. Storen e Daniel Descalso se enfrentaram com dois eliminados e jogadores ocupando todas as bases. E o rebatedor dos Cards levou a melhor. Com uma rebatida para o shortstop, impulsionou duas corridas e empatou o jogo. O rebatedor seguinte, Pete Kozma, também conseguiu uma rebatida simples e impulsionou mais duas corridas, deixando Saint Louis na frente no placar. O choque foi inevitável. A torcida de Washington se calou. A expressão dos jogadores e do dugout do time da casa mudou totalmente. Com a moral elevada, Motte não teve problemas para eliminar os três rebatedores dos Nationals na parte baixa da nona entrada e selar a classificação dos atuais campeões para a NLCS.

Pelo segundo ano consecutivo, os Cardinals ficaram a um strike da eliminação e conseguiram dar a volta por cima. E, desta vez, após estarem perdendo por seis corridas. Que lineup guerreira! A camisa pesou neste confronto e Washington pagou pela sua falta de experiência. Mas há de se exaltar a excelente campanha deste jovem time. Belo trabalho durante a temporada regular e muitos jogadores ainda estão começando suas carreiras, com grandes chances de progredirem ainda mais em 2013.
E Saint Louis, como quem não quer nada, chega forte novamente. Daqui pra frente, a briga é de cachorro grande.

Autor do post

Blog do Beisebol (Guilherme Shiniti)


4 Comentários

  • Pra mim sem duvida o melhor jogo do ano será essa STL x SF o primeiro time que assisti ser campeão e o segundo … ambos pela tv …

    SFL Lynn
    SF Bumgarner

    Quase acertou o placar de ontem em blog do beisebol .. tive medo pensei que os NYY iriam virar aquele jogo … Adoro quando perde pois acho esse gasto de dinheiro deles injusto …

    Sei que falei no outro coment que gostaria de NYY e SF na final mais acho que DET merece ir e tanto faz STL ou SF curto esses dois ..

    Quero ver o NYY se ferrando …

Deixe uma resposta para Blog do Beisebol Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *