Glossário

Durante uma partida de beisebol, é comum sermos apresentados a uma verdadeira enxurrada de expressões, siglas e estatísticas. Num primeiro momento, nos deparamos com questões como “O que é home run?”, “O que é strikeout?” ou ainda “Como calcular o ERA no beisebol?”.

Pensando nisso, o Blog do Beisebol preparou este glossário para esclarecer a quem está começando a acompanhar o esporte e quer se aprofundar no tema o que as tais letras e números significam.

Expressões Gerais
Expressões de Arremesso (Pitching)
Expressões de Rebatida (Hitting)
Expressões de Defesa (Fielding)

Para procurar um termo específico, sugerimos que aperte as teclas Ctrl e F simultaneamente e, em seguida, digite a expressão que procura.
  

EXPRESSÕES GERAIS

Rotação: Revezamento estre os pitchers titulares (starters). Na MLB, a rotação mais utilizada é a de cinco jogadores. A cada dia, um pitcher da rotação inicia um jogo. Depois de cinco dias (ou cinco jogos), o pitcher volta a começar outro jogo. Por exemplo, se Chris Carpenter inicia um jogo dia 2,  ele começará outra partida dia 7 (considerando que neste período seu time fará um jogo todos os dias).

Ace: Considerado o melhor pitcher da franquia. O ace do time é o arremessador número um da rotação, e espera-se que ele seja o líder do time em jogos, entradas arremessadas, ERA e outras estatísticas.

Reliever: É o pitcher reserva e que entra no decorrer do jogo. Em geral, podem ser divididos em algumas categorias:
– Long Reliever: quando um starter começa mal um jogo ou se machuca e precisa sair cedo do jogo, o long reliever entra em ação. Espera-se desse jogador que ele faça um papel de quase starter, arremessando em torno de três a quatro entradas.

– Left-Handed Specialist ou Especialista Canhoto: reliever utilizado para eliminar rebatedores canhotos, já que estes têm grande dificuldade contra pitchers que arremessam com a mão esquerda. Em geral, este tipo de pitcher não joga muito, entrando nos jogos para conseguir apenas uma eliminação.

– Setup: reliever encarregado de arremessar a 8ª entrada de um jogo, em geral que esteja equilibrado ou com seu time na vantagem. Espera-se que ele impeça o adversário de anotar qualquer corrida e mantenha seu time em boa posição no jogo, para que na última entrada o closer faça seu trabalho.

– Closer: na maioria das vezes, é o melhor pitcher de um bullpen. Entra na última entrada do jogo e espera-se que garanta a vitória do time. Jogador responsável pelos “Saves”.

Bullpen: Lugar onde os pitchers reservas fazem o aquecimento. Porém, a expressão também pode ser utilizada para se referir ao próprio conjunto de relievers.

Pinch Hitter: Rebatedor que entra no jogo substituindo um companheiro em sua vez de rebater. Muito comum no final de jogos, quando o técnico decide colocar um rebatedor mais potente e retira outro, que não seja tão bom no ataque. Muito comum em jogos da National League, pelo fato dos pitchers rebaterem. Quando o técnico tem pretensões de tirar o pitcher do jogo no turno de rebatida de seu time, ele coloca um pinch hitter para substituí-lo.

Pinch Runner: Jogador que entra na partida substituindo um companheiro que está em base. Em geral, isso ocorre no final de jogos equilibrados e o técnico tira o jogador em base (que pode ser pesado/lento) e coloca o pinch runner (mais rápido), em busca de anotar a corrida.

Switch Hitter: É o jogador que rebate como ambidestro, ou seja, dos dois lados do home plate. Faz isso para ter maior facilidade em conseguir rebatidas. Quando o pitcher adversário é canhoto, o switch hitter rebate como destro e vice-versa.

Bases Loaded ou Bases Lotadas: Utilizada para informar que há corredores em todas as três bases possíveis (1ª, 2ª e 3ª).

Sweep ou Varrida: Quando um time vence todos os jogos de uma série, dizemos que ele consegue a varrida. Por exemplo, Cardinals e Cubs se enfrentam numa série de três jogos, e os Cardinals vencem as três partidas, dizemos então que eles varreram os Cubs.

Comeback: Seria o equivalente a virada no jogo. Por exemplo, Nationals e Pirates estão jogando. O jogo está 7×1 para os Pirates até a oitava entrada. O ataque dos Nationals anota 3 corridas na oitava entrada e mais 5 na nona entrada, virando o jogo para 8×7 e conseguindo um “comeback”.

Walk-Off: Um Walk-Off ocorre quando o time da casa (que rebate na parte baixa da entrada) toma a liderança no placar na 9ª entrada ou em uma entrada extra, vencendo assim o jogo, já o adversário não teria mais chances de anotar corridas.

ARREMESSANDO (PITCHING)

Games Started ou Jogos Iniciados (GS): Número de jogos em que o pitcher começou como titular (starter).

Innings Pitched ou Entradas Arremessadas (IP): Número de entradas arremessadas por um pitcher. As entradas são contadas com base nas eliminações. Se o pitcher eliminar somente um jogador em uma entrada e for substituí­do, será creditada a ele 0.1 ou 1/3 (um terço) de entrada arremessada. Assim, se eliminar dois adversários e for substituí­do, será creditado 0.2 IP. Por exemplo, na sétima entrada, enquanto Felix Hernandez arremessa, a defesa elimina dois adversários. Ele é substituído por um reliever, que elimina o rebatedor restante e arremessa até o final do jogo (nona entrada). Então, Hernandez sairá do jogo com 6.2 IP enquanto o reliever terá arremessado 2.1 entradas.

Batters Faced ou Rebatedores Enfrentados (BF): Número total de rebatedores enfrentados pelo pitcher. Não importa se ocorreu um walk, erro ou rebatida, todos os confrontos contra adversários são contabilizados como BF.

Wins ou Vitórias (W): Número de vitórias que o pitcher conseguiu. Para ser creditado com uma vitória, o pitcher deve:
– (Caso seja o Starter): Arremessar no míni­mo 5 entradas completas, seu time estar à  frente no placar quando for substituído e não perder mais a liderança, com sua equipe sendo a vencedora do jogo.
– (Caso seja Reliever): Seu time estar perdendo quando o reliever entrar e virar o jogo durante o período em que ele arremessa, não perdendo a liderança do placar até o fim da partida, com sua equipe sendo a vencedora do jogo.

Losses ou Derrotas (L): Número de derrotas do pitcher. É creditado com uma derrota o pitcher que cede corridas e deixa o adversário à  frente do placar, e este continua na liderança até o final do jogo.

Winning Percentage ou Porcentagem de Vitórias (WPCT): Porcentagem de vitórias do pitcher na temporada, obtida através da divisão de vitórias pela soma entre vitórias e derrotas. Por exemplo, em 2008, Jamie Moyer teve 16 vitórias e 7 derrotas, logo sua porcentagem de vitórias foi de 69,6% (16/(16+7) = .696).

Earned Runs ou Corridas Merecidas (ER): Número de corridas pelo qual o pitcher é considerado responsável. Pode ser através de uma rebatida, jogada de sacrifício ou roubo de base (do home plate) do adversário, walk, balk ou hit by pitch (com as bases lotadas), wild pitch, sendo que em qualquer um dos casos, quando a corrida acontecer será creditada ao pitcher. Se um pitcher sai do jogo deixando um adversário em base e o arremessador seguinte cede uma rebatida que faça com que o mesmo adversário da base anote a corrida, ele é considerado o responsável pela corrida, e não seu substituto.

Earned Runs Average ou Média de Corridas Merecidas (ERA): É uma média entre o número de corridas cedidas e o número de entradas arremessadas pelo pitcher. Quanto menor o ERA, melhor para o pitcher. O cálculo do ERA é simples: corridas cedidas/entradas arremessadas x 9. Por exemplo: Em 2008, Roy Halladay arremessou 246 entradas e cedeu 76 corridas merecidas, logo seu ERA foi de 2.78 (76/246 x 9 = 2.78).

Unearned Runs ou Corrida Não Merecida (UR): É considerada Unearned Run uma corrida anotada pelo adversário que seja fruto de um erro defensivo e que se o mesmo não tivesse ocorrido, ela não seria possível. Quando um erro acontecer naquela que seria a 3ª eliminação da entrada (o que terminaria o turno de ataque do adversário), todas as corridas que forem anotadas posteriormente serão “unearned”. Neste caso, o pitcher não é responsabilizado pela corrida.

Inherited Runs Allowed (IRA): Um relief pitcher é creditado com IRA quando ele entra no jogo com adversário(s) deixado(s) em base pelo pitcher anterior, e o(s) mesmo(s) anota(m) corrida(s) enquanto este reliever estiver no jogo, sendo a ER creditada ao pitcher antecessor.

Quality Start (QS): Um pitcher é creditado com uma Quality Start quando ele inicia um jogo, arremessa no mínino seis entradas completas e cede no máximo três corridas merecidas.

Strikeouts (SO ou K): Número de Strikeouts realizados pelo pitcher. Para eliminar um adversário por strikeout, o pitcher deve conseguir três strikes (seja por acertar a bola na zona de strike, fouls ou induzir o oponente a tentar rebater a bola sem conseguir atingi-la). Para entender melhor, consulte o “Guia do Iniciante”.

Bases on Balls ou Walks (BB): Número de walks que o pitcher cedeu. Cada vez que o pitcher arremessa quatro balls contra um mesmo rebatedor, ele cede um walk.

Strikeouts per Nine Innings ou Strikeouts por Nove Entradas (K/9): Média de Strikeouts do pitcher em nove entradas. Divide-se o número de SO pelo número de entradas arremessadas e multiplica-se por nove. Por exemplo: em 2008, Tim Lincecum conseguiu 265 SO em 227 entradas arremessadas, logo seu K/9 foi de 10.5 ((265/227) x 9 = 10.5).

Bases on Balls per Nine Innings ou Walks por Nove Entradas (BB/9): Média de Walks cedidos do pitcher em nove entradas. Divide-se o número de BB pelo número de e entradas arremessadas e multiplica-se por nove. Por exemplo: em 2008, Matt Garza cedeu 59 walks em 184.2 entradas arremessadas, logo seu BB/9 foi de 2.88 ((59/184.2) x 9 = 2.88).

Strikeouts per Bases on Balls ou Strikeouts por Walks (K/BB): Relação entre o número de SO e o número de BB conseguidos pelo pitcher. Divide-se a quantidade de SO pelo total de walks cedidos. Por exemplo: em 2008, Johan Santana conseguiu 206 SO e cedeu 63 walks, logo seu K/BB foi de 3.27 (206/63 = 3.27).

Hit By Pitch (HBP): Um pitcher é creditado com Hit By Pitch quando acerta o rebatedor adversário com um de seus arremessos (desde que a bola tome um rumo fora da zona de strike, ou seja, um ball que acerta o adversário). O rebatedor avança automaticamente até a primeira base.

Completed Games ou Jogos Completos (CG): Número de jogos em que o pitcher arremessou todas as entradas da partida.

Shutout (SHO): O pitcher é creditado com um Shutout quando arremessa um jogo completo e não cede nenhuma corrida, ou seja, seu time vence o adversário “de zero”.

No-Hitter: Se o pitcher arremessa e não cede nenhuma rebatida (hit) durante o jogo completo, diz-se que ele conseguiu um No-Hitter.

Wild Pitches (WP): Número de Wild Pitches arremessados pelo pitcher. É considerado Wild Pitch todo arremesso ruim do pitcher em que o catcher não consegue segurar ou bloquear a bola, permitindo que corredores adversários avancem nas bases.

Save Opportunities ou Oportunidades de Save (SVO): Um pitcher é creditado com uma Oportunidade de Save quando entra no jogo numa das situações:
– Seu time está na liderança do placar por no máximo 3 corridas de diferença;
– Seu time está à frente no placar, porém o adversário tem potenciais chances de empatar o jogo, com jogadores em base ou eliminações que sejam iguais ao número de corridas que está atrás no placar. Por exemplo, se um jogo estiver no início da 8ª entrada e a liderança for de 4 corridas, haverá uma Oportunidade de Save, pois o time que está perdendo possui mais de 4 eliminações antes que o jogo termine.
Se o pitcher mantiver a oportunidade de save até o final, ele será creditado com um Save.

Hold (HLD): Um pitcher é creditado com um Hold quando ele entra no jogo (reliever) numa situação de save, elimina pelo menos um adversário, mantém o time na liderança e é substituí­do, sem o time perder a liderança do placar até o fim do jogo. Um pitcher não pode receber um Hold se ele for o último arremessador de sua equipe no jogo, ou seja, não pode ser creditado com um Hold e um Save/Win numa mesma partida.

Save (SV): Um pitcher é creditado com um Save quando ele entra numa partida (reliever), é o último arremessador do time no jogo, em que a equipe está na liderança e permanece à frente do placar até o final (time vence a partida), não recebe o Win e atende a uma das situações:
– Arremessa no mínimo 3 entradas completas;
– Entra quando o time está com no máximo três corridas na liderança e arremessa no mí­nimo 1 entrada completa;
– Entra numa partida em que o adversário está com potencial de empate (diferença de 4 corridas, com as bases lotadas, por exemplo) e não perde a liderança.
*Um pitcher nunca receberá um Save se seu time perder a liderança do placar, mesmo que depois ele a recupere.

Blown Save (BS): Um pitcher é creditado com um Blown Save quando ele entra no jogo numa situação de save e permite que o adversário empate ou tome a liderança no placar.

Walks Plus Hits per Inning (WHIP): Média de adversários que chegaram em base enquanto o pitcher arremessou. Soma-se o total de walks e hits cedidos e divide-se pelo total de entradas arremessadas. Por exemplo: em 2008, Dan Haren cedeu 40 BBs e 204 hits aos rebatedores adverários, enquanto arremessou 216 entradas, logo seu WHIP foi de 1.13  ((40+204)/216 = 1.13).

_

REBATENDO (HITTING)

Hits ou Rebatidas Válidas (H): Soma de todas as rebatidas válidas que o jogador conseguiu. Para ser considerada válida, a rebatida deve ser na parte boa do campo, com o rebatedor chegando pelo menos até a primeira base à salvo e os corredores (se houver) chegando à base seguinte também à salvo. Caso um corredor seja eliminado antes de chegar até a base seguinte, o rebatedor não é creditado com um Hit. Se um corredor passa pela base seguinte, continua correndo até a outra base e é eliminado, o rebatedor é creditado com um Hit, pois considera-se que foi responsabilidade do corredor tentar ganhar outra base.

Doubles ou Rebatidas Duplas (2B): Número de rebatidas duplas do jogador. Para ser considerada dupla, o rebatedor deve conseguir uma rebatida válida em que ele consiga chegar à salvo na segunda base. 

Triples ou Rebatidas Triplas (3B): Número de rebatidas triplas do jogador. Para ser considerada tripla, o rebatedor deve conseguir uma rebatida válida em que ele consiga chegar à salvo na terceira base. 

Home Run (HR): Número de Home Runs que o jogador conseguiu. Home Run é toda a rebatida na parte válida que ultrapassa os limites do campo, indo para a arquibancada. Nesse caso, tanto o rebatedor quanto os corredores (se houver) anotam corridas automaticamente. Inside the Park Home Runs, jogadas nas quais o rebatedor avança as quatro bases com a bola ainda em campo, também entram para a estatística de HR do jogador.

Grand Slam Home Run (GSH): Home Run em que as bases estão lotadas, ou seja, o ataque anota 4 corridas numa única jogada.

Bases on Balls ou Walks (BB): Número de vezes em que o rebatedor recebeu quatro Balls e avançou automaticamente até a primeira base.  

At Bats ou Oportunidades no Bastão (AB): Número de vezes em que o jogador enfrentou o pitcher. O rebatedor não é creditado com um At Bat quando:
– É atingido pelo pitcher adversário (hit by pitch);
– Recebe um Walk;
– Realiza uma rebatida de sacrifício.  

Batting Average ou Aproveitamento no Bastão (AVG): Porcentagem de quantos hits o jogador conseguiu realizar. O cálculo do Average é simples, basta dividir o número de Hits pelo número de At Bats. Por exemplo: em 2008, Ichiro Suzuki conseguiu 213 Hits em 686 At Bats, logo seu Aproveitamento foi de 31% (213/686 = .310).

Intentional Walks ou Walks Intencionais (IBB): Número de vezes que o rebatedor recebeu um walk propositalmente pelo pitcher. Isso ocorre quando o rebatedor seguinte é nitidamente mais fraco e fácil de ser eliminado.  

Hit by Pitch (HBP): Número de vezes que o rebatedor foi atingido pelo pitcher adversário e avançou automaticamente até a primeira base.

Runs ou Corridas (R): Número de corridas anotadas pelo rebatedor.

Runs Batted In ou Corridas Impulsionadas (RBI): Número de corridas impulsionadas pelo rebatedor. O rebatedor é creditado com uma corrida impulsionada quando consegue uma rebatida (válida ou de sacrifício) em que um corredor que esteja em base consiga chegar a quarta base (home plate) à salvo e anotar a corrida. Ou quando, com bases lotadas, ele consegue um walk ou é atingido pelo pitcher, fazendo com que todos os jogadores de seu time avancem uma base (o jogador que estava na terceira anote a corrida).

Total Bases (TB): Número total das bases somadas que o rebatedor conseguiu com suas rebatidas válidas. Por exemplo, em 2008, Dustin Pedroia conseguiu 213 rebatidas válidas, sendo 140 simples, 54 duplas, 2 triplas e 17 Home Runs, entào seu TB foi de 322 (140 + (54 x 2) + (2 x 3) + (17 x 4) = 322).

Slugging Percentage (SLG): Porcentagem do aproveitamento do rebatedor quanto ao número de bases conseguidas. A porcentagem é dada pela divisão entre o Total Bases pelos At Bats do jogador. Por exemplo, em 2008, Albert Pujols teve um Total Bases de 342 em 524 At Bats, logo seu SLG foi de 65,3% (342/534 = .653).

On Base Percentage (OBP): Porcentagem de vezes que o jogador chegou em base. O cálculo da porcentagem é feito pelo número total de Hits, Walks e Hit by Pitch dividido pelo total de At Bats, Walks, Hit by Pitch e rebatidas de sacrifício. Por exemplo, em 2008, Matt Holliday teve 539 At Bats, 173 Hits, 74 Walks, 2 Sacrifice Flies e 8 Hits by Pitch, logo seu OBP foi de 40,9% ((173+74+8)/ (539+74+2+8) = .409).

Stolen Bases ou Bases Roubadas (SB): Número de bases roubadas pelo jogador enquanto corredor. Para roubar uma base, o jogador já deve estar numa base. Assim, enquanto o pitcher adversário arremessa para o rebatedor de seu time, ele corre até a base seguinte mesmo não havendo rebatida. Se chegar à salvo, o jogador é creditado com um roubo de base.

Caught Stealing ou Capturado Roubando (CS): Número de vezes em que o jogador foi pego pela defesa adversária enquanto ele tentava roubar base. Para ser eliminado, ele não pode estar em contato com a base e um adversário deve tocá-lo com a bola, sem que tenha ocorrido uma rebatida.

Extra Base Hits ou Rebatidas Extra Bases (XBH): Número total de rebatidas com bases extras, ou seja, é a soma de rebatidas duplas, triplas e Home Runs. Por exemplo, em 2008, Ryan Howard conseguiu 26 duplas, 4 triplas e 48 Home Runs, logo ele teve 78 rebatidas extra bases (26+4+48 = 78).

On Base Plus Slugging Percentage (OPS): Soma entre o OBP e SLG para conferir o aproveitamento total do jogador em relação às bases. Por exemplo, em 2008, David Wright teve um On Base Percentage de .390 e o Slugging de .534, logo seu OPS foi de .924 (390+534 = 924).

Groundouts (GO): Total de Groundouts (confira o que é no “Guia do Iniciante”) sofridos pelo rebatedor. Não são consideradas as eliminações à partir de bunt.

Flyouts ou Air Outs (AO): Total de eliminações do rebatedor por bolas aéreas (confira o que é no “Guia do Iniciante”. Não são consideradas eliminações à partir de Line Drives.

Sacrifice Bunt ou Bunt de Sacrifício (SAC): O rebatedor é creditado com um Sacrifice quando, com menos de dois eliminados na entrada, utiliza o Bunt para avançar os corredores até as próximas bases, enquanto ele é eliminado na primeira base.

Sacrifice Flies (SF): O rebatedor é creditado com um Sacrifice Fly quando, com menos de dois eliminados, rebate uma bola alta para o Outfield e é eliminado por Flyout, permitindo que o corredor da terceira base saia desta (somente depois da bola tocar na luva do defensor) e corra até o Home Plate sem ser eliminado, anotando uma corrida para a equipe.

Grounded Into Double Play (GIDP): O rebatedor é creditado com uma Grounded Into Double Play toda vez que sua rebatida permite que a defesa elimine dois jogadores do ataque. Portanto, é necessário que, no mínimo, um corredor já esteja em base antes da rebatida.

_

DEFENDENDO (FIELDING)

Assists ou Assistências (A): Número de Assistências do defensor. O jogador é creditado com uma assistência quando, após a rebatida, a bola toca o chão, esse defensor a pega e arremessa até um defensor em uma das bases, resultando na eliminação do adversário.

Putouts (PO): Um jogador é creditado com um Putout quando elimina um adversário, seja conseguindo um Flyout, pisando numa base para um Groundout ou encostando num adversário para um Tag Out.

Double Plays (DP): O jogador é creditado com a Double Play quando participa de uma jogada em que a defesa consegue eliminar dois adversários à partir de uma só rebatida.

Errors ou Erros (E): O jogador da defesa é creditado com um Erro quando, à partir de uma rebatida do adversário, ele não consegue pegar uma bola que facilmente seria um Flyout ou quando ele defende a bola e arremessa de maneira errada para um companheiro do time, não conseguindo eliminar o oponente.

Fielding Percentage (FPCT): Porcentagem das defesas realizadas pelo jogador, à partir da soma dos Putouts e Assists dividida pela soma dos Putouts, Assists e Errors. Por exemplo, em 2008, Hanley Ramirez realizou 236 putouts, 401 assists e 22 erros, logo seu FPCT foi de 96,7% (236+401/236+401+22= .967).

Innings Played ou Entradas Jogadas (INN): Número de entradas em que o jogador esteve presente em campo como defensor.

Passed Balls (PB): O catcher é creditado com uma Passed Ball sempre que não consegue segurar uma bola arremessada pelo pitcher e permite que os corredores adversários se aproveitem para avançar para as próximas bases.

Triple Play (TP): O jogador é creditado com a Triple Play quando participa de uma jogada em que a defesa consegue eliminar três adversários à partir de uma só rebatida.

Outfield Assists (OFA): Um outfielder é creditado com uma Outfield Assist quando aremessa a bola, rebatida pelo adversário, para um infielder e gera a eliminação de um oponente.

Total Chances (TC): É o total de chances que o defensor teve. Para descobrir este número, basta somar os putouts, assists e erros do jogador. Por exemplo, em 2008, Evan Longoria teve 86 putouts, 230 assists e cometeu 12 erros, logo seu Total Chances foi de 328 (86+230+12=328).


86 Comentários

  • Olá, pessoal! Meu nome é Suzana e estou fazendo a tradução de um livro em japonês para o português. Bem, nesete livro há muitas citações sobre o beisebol, principalmente sobre o beisebol japonês, é claro! (A autora é torcedora fanática dos Hanshin Tigers). Mas estou batendo a cabeça com o vocabulário do beisebol. Aqui no Brasil é usado o vocabulário no seu original ou há já um vocabulário determinado para o Português? Por exemplo, no caso do ERA, há o termo em português “Média de Corridas Merecidas”, porém isso é corrente? Ou se usa o ERA, mesmo?
    Obrigada.

    • Olá Suzana. Por parte do meu conhecimento, mesmo no Brasil se usa ERA. Aqui no Blog sempre usei a maioria dos termos em inglês mesmo.
      Em geral as siglas são utilizadas no original, pois são fáceis de se falar. Já as palavras, essas sim são traduzidas. No caso, como é um livro, creio que você poderia utilizar o termo ERA e entre parênteses colocar média de corridas merecidas. Assim, creio que ficaria mais esclarecedor. Bom, só minha opinião.
      Grande abraço!

    • É isso mesmo Gabriel. Pode ser tanto para um corredor em base quanto para o rebatedor. Por exemplo, numa partida o placar indica 3×1 para o time A. Na oitiva entrada, um jogador do time B consegue uma rebatida e chega à 1ª base. Portanto, o rebatedor seguinte será a “potential tying run”, pois se ele bater um homerun a partida ficará empatada. Caso o jogo estivesse 2×1, o jogador da 1ª base seria a “tying run”, enquanto o rebatedor simbolizaria a “go ahead run” (corrida de desempate).

  • Boa-tarde. Gostaria de saber como são chamados em português os “all-stars” do beisebol, sem especificar suas funções na equipe. No futebol usamos o termo “craques” para esse fim. Estou pesquisando e não encontro. Preciso disso para concluir a tradução de um texto. Agradeço desde já pela atenção!

  • Olá. Primeiramente, o blog é incrível. Aprendi tudo que sei sobre o assunto por aqui. Parabéns.

    Minha dúvida: O ERA é meramente um número estatístico dos pitchers, para se avaliar o desempenho do mesmo na temporada, ou ele tem algum envolvimento com tabela de classificação, critérios de desempate, ou alguma coisa assim?

    Muito obrigado.

    Abraços

    • Olá Frederico.
      Obrigado pelos elogios. É legal ver que meu trabalho está agradando! Muito obrigado.
      Bom, o ERA é só uma estatística mesmo. Na classificação só conta o número de vitórias e derrotas. Se ao final da temporada duas equipes terminam com a mesma quantidade de vitórias e derrotas, eles jogam uma partida extra (isso ocorre somente no caso de estarem brigando por uma vaga nos playoffs).

      Abraço!

  • Olá.

    O que significa o termo ” tied for first”, ou melhor, o que significa quando se diz que “dois times estão tied for first na Liga”? Como digo isso em português?

    Obrigada

    • Olá Antônio!
      A expressão “He left with the bases loaded” pode significar duas coisas:
      – Se estiver falando de um rebatedor, significa que ele tinha companheiros ocupando a 1ª, 2ª e 3ª bases, porém não conseguiu uma rebatida para impulsioná-los. Portanto, todos ficaram na mesma base que estavam e ele foi eliminado.

      – Se estiver falando de um arremessador, significa que ele foi substituído após deixar as bases lotadas (adversários na 1ª, 2ª e 3ª bases).

      Abraço!

  • Muito obrigado! Estou cada vez mais apaixonado pelo esporte. Ainda tenho uma pergunta: como se diz em português “beanball”?
    Vocês são show! Parabéns pelo blog!

    • Olá Antônio! Valeu pelos elogios!
      Sobre o “beanball”: é quando o pitcher acerta ou tenta acertar o rebatedor adversário propositalmente. Não existe um termo específico em português. No caso, poderíamos dizer “bolada intencional” mesmo.

      Abraço!

  • Olá. Estou traduzindo um livro que menciona um jogador de beisebol conhecido como um grande slugger. Existe equivalente português para esse termo? Obrigado
    Parabéns pelo blog, muito, muito bom.

  • Podem por favor me dizer o que significa “hit a cut-off man e hit behind the runner’? É para um filme.
    Eternamente grato.

    Paulo Frederico

    • Olá Paulo,

      – O “hit behind the runner” é quando a rebatida passa por trás do corredor que está correndo da primeira base para a segunda base, dificultando a ação da defesa.
      – O “hit a cut-off man” é quando uma rebatida atinge o outfield e um outfielder arremessa a bola de volta para o infield. O infielder que estiver fora da base é o cut-off man, e ele será uma espécie de “atalho” no caminho da bola, decidindo depois para qual base lançá-la.

      Abraço!

    • Olá Jorge!

      Primeiro, obrigado pelo elogio! Line drive é o meio termo entre bola rasteira e bola aérea. É uma rebatida em que a bola vai numa “linha reta” (não totalmente reta, mas ela não sobre muito como um “balãozinho”). Geralmente ficam a uns 4-7 metros do chão. Acho que deu pra entender mais ou menos hehe

      Abraço!

  • Um esporte tão pouco divulgado no Brasil e tão fascinante! Grande parte do fascínio exercido sobre mim se deve ao que estou aprendendo aqui no blog. Parabéns pela iniciativa. O blog é excelente!

  • Ola, varias das minhas duvidas foram tiradas com esse glossário. e por isso meu muito obrigado. Mas sempre vejo nas transmissoes, sobretudo o paulo antunes na espn, falando a expressao “homem de lead-off” (ou algo assim), o q vem a ser isso? parabens pelo blog.

  • Eu tenho uma duvida, se um corredor na primeira base por exemplo tenta roubar a segunda base, ele irá correr na hora do arremesso do Pitcher né ? Agora supondo que o jogador no bastão consiga rebater e mande uma bola alta e acabe sendo eliminado pelo fly ball, o jogador em base que tentou roubar a segunda base não deveria ter corrido só depois do defensor pegar a bola no ar ?

    • Depende da situação de jogo, quantos atacantes já foram eliminados, qual base que este corredor está (no seu exemplo: na 1a.Base) e para onde a bola se direcionou. Logo, existem várias situações e nem sempre dá para assumir uma resposta única. No seu caso, se já estiver com dois jogadores eliminados (2 outs), o corredor deve correr, pois se a “fly ball” não for defendida (pega no ar), ele já terá uma boa vantagem!!! Se não tiver eliminados (0 out) ou for apenas um (1 out), o corredor pode voltar e ficar com o pé na 1a. Base para tentar um roubo após a fly ball ter sido pega ou ficar no meio do caminho aguardando a defesa (caso a bola seja pega, ele volta para a 1a. Base, caso ela caia no chão, ele avança para a 2a.Base). Mas, tem outras variações/ situações de jogos que tem que ser avaliadas também… Bom estudo para ti!!!

  • Olá, sou novo no baseball, aprendi como se joga faz poucos dias rsrsrsrs. To viciado ja kkkkk To gostando mt do esporte. Por favor me tirem uma dúvida: quando eu vejo no site da mlb os resultados, aí embaixo dos times que vão jogar tem assim:
    Exemplo:
    W: Lackey (5-5, 2.99)
    L: Oswalt (0-2, 7.36)
    SV: Uehara (2)
    Bom.. eu sei que W, L e SV são Wins, Loses e Saves respectivamente. Mas eu nao sei o que são esses números do lado deles, o que são esses números? Vlw :DD

  • Olá!

    Primeiramente, parabéns pelo blog!!!

    Estou acompanhando o baseball a pouco tempo e tenho uma dúvida a respeito de quando o pitcher acerta a bola no batter é proposital??

    As vezes percebo que após ser acertado o batter deixa de rebater, mas as vezes ele continua.

    Bom, não sei se reparei direito, mas, fiquei meio confuso nessa questão kkkkk

    Desde já, agradeço!

    • Olá David!
      Geralmente, quando o pitcher acerta o batter não é proposital. Porém, em alguns casos, quando há uma “rixa” entre as equipes ou jogadores, pode ocorrer sim de um arremessador acertar o adversário de propósito (e geralmente o time oponente vai lá e acerta um rebatedor do oponente para deixar as coisas “quites”).
      Quando o rebatedor é atingido, ele avança automaticamente para a 1ª base. Em alguns casos, quando a bola acerta a mão, pulso ou cabeça do jogador, ele costuma ser substituído, por isso ele sai do jogo.

      Espero ter esclarecido.

      Abraço!

  • Tenho uma duvida ate meio “mobral”, acompanho o esporte a pouco tempo…
    Por que mesmo após rebater uma bola o rebatedor nao corre em direção a base, seria por que foi invalida ? Tenho ainda dificuldade nessa parte, e aquela contagem no placar que aparece STRIKE, se puder me ajudar serei grato, alias ótimo blog…

    Go, go Yankees

  • Go go Giants! 10-12-14!!!!
    Dynasty!
    Pence, Posey, Sandoval, Bumgarner, Susac, Panik, Belt, Crawford, Morse, Machi, Lincecum, Affeldt, Hudson, Petit, Casillas, and others, MONSTERS!!!!
    Valeu pelo blog, me apaixono cada dia mais pelo esporte e pelo Giants!

  • Será que o Blog do Baseball poderia me explicar o que é um Unassisted Triple Play? eu sou novo no esporte e venho acompanhando vocês, conheço os conceitos básicos, mas essa jogada parece ser rara e um pouco mais complexa? Expliquem? Grato! e Parabés pelo Blog!

  • Gostaria de saber alguns termos em ingles usados no Beisebol traduzidos para o portugues do Brasil:
    – Bases loaded (When there is a runner on 1st, 2nd and 3rd base);
    – Diamond -Eu encontrei Diamante, mas nao tenho certeza;
    – Double play (When two players are tagged out within the same continuous play);
    – Grand slam (When the bases are loaded and the batter hits a home run, resulting in four points);
    – Home run (Penso que eh o mesmo);
    – Out (When a pitcher throws three strikes to one batter, resulting in the batter’s return to the bench);
    – Walk (When a pitcher throws four balls to one batter, resulting in the batter walking to first base).
    Muito Obrigada pela ajuda!

    • Olá Juliana.

      Mesmo no Brasil alguns termos permanecem em inglês e outros são traduzidos. Sobre seus questionamentos:
      – Bases loaded = Bases lotadas;
      – Diamond = até se fala diamante, mas geralmente nos referimos a ele como infield ou campo interno;
      – Double Play = Double play mesmo ou queimada/eliminação dupla;
      – Grand Slam = permanece Grand Slam
      – Home Run = permanece Home Run
      – Out = eliminação
      – Walk = permanece Walk

      Abraço!

  • Eu ouvi esta frase “In the sixth inning, we were batting, down by one.” mas não consegui entender direito..será que seria “Na sexta entrada, fomos rebatidos, ficando com um ponto abaixo” ?

  • Se por exemplo uma equipe for tão inferior à outra a ponto de não conseguir a eliminação de seu adversário nas entradas – conseguindo este corridas sucessivas – qual é o limite para o término do jogo, já que dificilmente alcançarão a nona entrada?

    grato

  • Olá, adorei seu blog, muito interessante mesmo, eu comecei a jogar digamos que a uns 5 meses e já joguei partidas de beisebol e softbol, realmente adoro beisebol, tenho muito o que aprender, mas queria perguntar, existe diferentes tipos de luvas, certo?

    • Olá Desconhecida (rs)!

      Sim, existem diferentes tipos de luvas, definidas de acordo com a posição dos jogadores. No campo externo (outfield), as luvas são mais compridas e profundas, pois nessa posição o jogador realiza defesas de bolas que caem de grandes alturas e precisam absorver o impacto destas quedas. O recebedor (catcher) possui uma luva mais larga e acolchoada, para proteger a mão do jogador, uma vez que a bola é arremessada em sua direção diversas vezes. O primeira base utiliza uma luva larga e um pouco mais curva, para se tornar um alvo mais fácil para os outros infielders lançarem a bola em busca de realizar as eliminações. O restante do campo interno (infielders) utiliza uma luva um pouco menor e mais leve que o restante, pois isso facilita sua movimentação e passagem da bola para a mão de arremesso durante uma jogada.

      Abraço!

    • Olá Benedito!

      Se a bola for muito alta dentro do infield nessas condições, o juiz pode chamar pela “Infield Fly Rule”, uma regra que elimina automaticamente o rebatedor e permite que o corredor fique parado na 1B. Essa regra foi criada justamente para evitar que os defensores deixassem a bola cair propositadamente em situações como essa que você descreveu.

      Abraço!

  • Home Run é toda a rebatida na parte válida que ultrapassa os limites do campo, indo para a arquibancada. E quando a rebatida não ultrapassa os limites do campo próximo da arquibancada a bola é pega pelo torcedor antes de cair no campo, que acontece?

    Qual a diferença entre Liga Nacional e Americana?

    Grato

    • Olá Benedito.

      Quando um torcedor pega uma bola no ar sem que ela ultrapasse os limites entre campo e arquibancada e a bola está em território válido, é aplicada a regra de “Fan Interference”. Nesses casos de interferência, o juiz deve tomar uma decisão: se um defensor estava em posição de realizar a defesa claramente, o árbitro considera que o torcedor prejudicou o defensor e é considerada uma eliminação por flyout. Por outro lado, se o defensor mais próximo da bola não tinha condições nenhuma de agarrá-la, o juiz tente a dar ao rebatedor uma rebatida dupla automática.
      Em todos os casos, o árbitro deve interpretar a situação da melhor forma possível. No momento em que ocorre a interferência, a bola é considerada como morta.

      Sobre as Ligas, a principal diferença é que na Americana, o pitcher não precisa rebater, ele é automaticamente “substituído” pelo designated hitter nos turnos de ataque. Já na Nacional, o arremessador deve ir para o bastão também nos turnos de ataque de sua equipe.

      Abraço!

  • Olá, parabéns pelo blog! O mais didático que já vi.

    Gostaria de saber o que é um “Balk”.

    E como são feitos os Intentional Walks? Com “balls” propositais do pitcher?

    • Olá Matheus.

      O Balk ocorre quando o arremessador faz um movimento não permitido enquanto está no montinho. Pode ser: derruba a bola no chão enquanto está em posição de arremesso, faz a ação do arremesso e não arremessa, finge um pickoff para uma base vazia, retarda o jogo propositalmente. Quando um balk ocorre, todos os jogadores que estão em base avançam uma base automaticamente.

      Os Intentional Walks são isso mesmo que você citou: o pitcher lança balls propositais para o catcher, para avançar automaticamente o rebatedor para a 1B.

      Abraço!

  • meu comentário é apenas para demonstrar minha admiração pelo seu trabalho Sr ADM, obrigado por tirar todas as duvidas possíveis, comecei a ler o blog no meio da temporada de 2015, torci pros Cardinals, infelizmente perdemos pros Cubs, hehehe, a profecia de “De volta para o futuro” não se cumpriu e estou ansioso pra que Abril chegue logo, meus cumprimentos, Parabéns e um feliz Ano Novo… Go Cardinals… Deus te abençoe !!!

  • BLOG INCRÍVEL!!!
    Meus parabéns e não pare nunca.
    Muito obrigado por nós trazer tanta cultura e esclarecimentos sobre esse esporte incrível e cheio de regras e siglas que precisam de um bom estudo para serem compreendidas.
    Um abraço forte e GO A’s rsrs

  • Bom dia, Guilherme!

    Estou fazendo uma tradução e preciso de ajuda com alguns termos:

    two-run shot
    It’s in the pen
    lead-off walk
    walking the shortstop
    one run lead
    belt (pode ser um lugar no campo?)
    outside corner

    Pode me ajudar?

    Obrigada.

    • Olá Paula,

      Em alguns casos depende do contexto, mas segue de maneira genérica:

      two-run shot: Home run de duas corridas, ou seja, com uma rebatida, a equipe marcou dois pontos
      It’s in the pen: depende do contexto, pen faz referência ao bullpen, local onde ficam os arremessadores reservas
      lead-off walk: começar a partida (ou entrada) com um walk
      walking the shortstop: ceder um walk ao shortstop adversário
      one run lead: liderança de uma corrida (ponto). Estar à frente do adversário por apenas um ponto no placar.
      belt (pode ser um lugar no campo?): cinto utilizado pelos jogadores
      outside corner: parte externa da zona de strike, ou seja, a parte mais distante em relação ao rebatedor na zona de strike.

      Espero ter ajudado.

      Abraço.

  • Olá!
    Estou traduzindo um livro em que há a expressão “work the count on sb to two and two, then threw his curveball”. Como é um arremessador, posso dizer que ele induziu o rebatedor a pensar que arremessaria uma bola rápida, mas acabou arremessando uma bola curva? Não achei nada que explicasse o que é “two and two”.
    Obrigada.

  • Olá, Guilherme!

    Não tenho dúvidas. Estou aqui apenas para ser mais um dos que precisam te agradecer por este blog tão completo que você disponibiliza. Estou conhecendo o blog no meio de 2017 e vejo que ele tem mais de 5 anos. Mesmo com todo este tempo, ele ainda ajuda pessoas a conhecerem melhor este esporte tão rico e tão pouco apreciado.

    Para você ter uma noção de como estou encantado com seu trabalho, passei 6 horas só hoje lendo todo o blog e mais os comentários. Aprendi muito mais do que em qualquer outra fonte!

    Por favor, continue com este completíssimo trabalho porque ele é fundamental para que o baseball seja mais conhecido e divulgado no Brasil.

    Parabéns!

  • Pingback: O Beisebol
  • Obrigado por esse excelente glossário. Ele tem me ajudado muito em minhas traduções. Estou tendo muita dificuldade para traduzir a seguinte frase e tomo a liberdade de pedir a ajuda de vocês:

    Mental toughness can get us out of impossible jams, like 3rd and 15 with 40 seconds left and down by a field goal, or bases loaded with nobody out.

    Obrigado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *